.

 

DISQUE DENÚNCIA - 181

Disque-Denúncia já tem 390 mil ligações na Grande BH

Em três meses, população da Grande BH encaminha recorde de queixas à polícia, que apura 12 mil casos. Serviço será ampliado

Ingrid Furtado - Estado de Minas

Jackson Romanelli/Especial para o EM

DISQUE DENÚNCIA - 181- Belo Horizonte - MG

Central funciona 24 horas por dia e preserva identidade de denunciante, que recebe senha para seguir caso

A mobilização da comunidade foi a força motriz para o sucesso do principal meio de comunicação entre a segurança pública e a população da Grande BH: o Disque-Denúncia 181, parceria entre a Secretaria de Estado de Defesa Social(Seds) e o Instituto Minas pela Paz (IMPP), recebeu nos últimos três meses 390 mil ligações, oito vezes mais chamadas do que os serviços de denúncias anteriores. Desde total 12.536 queixas foram apuradas. Ainda este ano, o secretário da Seds, Maurício Campos Júnior, planeja ampliar o serviço para outros municípios, como Uberlânida e Uberaba, no Triângulo Mineiro; Governador Valadares, no Vale do Rio Doce; Montes Claros, no Norte de Minas; e Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Nesses período, graças a denúncias, 195 pessoas foram presas e 29 foragidos da Justiça foram recapturados. Além disso, 36 adolescentes foram apreendidos. Tráfico de drogas, homicídios, porte ilegal de armas, desmanche de veículos e risco de cães ferozes estão entre as denúncias mais freqüentes.

O 181 atende a população de 34 cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas a capital é a primeira na lista das cidades que mais geraram informações, seguida por Contagem, Betim, Ribeirão das Neves e Santa Luzia. BH registrou em três meses 6.732 casos (49,4%); Contagem contabilizou 1.341 denúncias (9,8%); Betim, 584 casos (4,3%); Ribeirão das Neves, 582 (4,3%); e Santa Luzia, 502 denúncias (3,7%). Ao ligar, o denunciante recebe uma senha e, com ela, pode acompanhar o andamento das investigações, tendo sua identidade preservada.

O serviço implantado em Minas foi espelhado em ações promovidas em São Paulo e Rio de Janeiro, que apostaram na iniciativa como forma de parceria para combater a violência. De acordo com Maurício Campos, as ligações feitas para o 181 são gratuitas e criptografadas. “Isso oferece a certeza do anonimato. Na central, os telefones são configurados para não identificar a chamada. Dessa forma, o sigilo é absoluto. A unificação, entre as polícias Militar, Civil e o Corpo de Bombeiros (Cobom) facilita a capacidade de respostas das corporações e, por isso, aumenta a credibilidade e a confiança do serviço”, afirma Campos.

Ele diz também que o lançamento do 181 serviu para alavancar o canal de comunicação da polícia com a comunidade, já que as ligações para os antigos números estavam em declínio. “O lançamento do novo disque-denúncia foi muito importante. Conseguimos alcançar a expectativa de aumentar a participação popular na questão de segurança pública. Mas precisamos ajustar ainda mais o serviço na Grande BH para estendê-lo em direção ao interior. Vamos potencializar o equipamento, mas o planejamento na interiorizarão do sistema já começa este ano”, adianta.

DIA E NOITE
O coordenador do 181 pela Seds, Aaron Duarte Dalla, explica que o serviço funciona 24 horas por dia é e movido pelo interesse da população. “As pessoas que nos telefonam vivem perto do problema e se incomodam com os crimes. Ninguém melhor do que elas para ligar e denunciar. O nível de detalhamento é incrível e nos ajuda a combater a criminalidade. A população é parceira da segurança pública”, afirma. A equipe é composta por 55 pessoas e são coordenadas por oficiais do Cobom, da PM e delegados da Polícia Civil. Nos últimos três meses, 12.536 denúncias foram encaminhadas para investigação, depois de análises das três corporações, que integram o serviço unificado.  (Fonte: Estado de Minas, 02/03/2008)

Disque-denúncia levou à prisão de 1.133 pessoas até 09/07/2008

seção criada em
21/06/2008

Belo Horizonte - Minas Gerais  -

TELEFONES ÚTEIS

 

.

.

.