.

 

CELULITE: UM MAL QUE PERSEGUE AS MULHERES

Quantas vezes nos olhamos no espelho e percebemos algumas ondulações na pele que tiram nosso sono? Elas são a famigerada celulite, que acomete a maioria das mulheres: cerca de 95%, independentemente da idade. Ainda não há cura para a celulite, mas já existe uma série de tratamentos estéticos para melhorar a aparência dela. O ideal é conhecer alguns fatores desencadeantes desse processo e, assim, evitar que o quadro piore.

A celulite é uma doença também conhecida como lipodistrofia ginóide. É um quadro inflamatório do tecido celular subcutâneo, ou seja, que atinge a gordura que se localiza logo abaixo da pele, principalmente nas coxas e no bumbum. A principal característica dela é a aparência da pele, que apresenta ondulações e, conforme o grau do problema, pode ficar como uma casca de laranja.

Mas você sabe o que faz aparecer a celulite? Vários fatores são responsáveis e quase todos eles estão ligados ao estilo de vida que a pessoa tem. Entre eles, estão: hereditariedade, ou seja, predisposição genética; alterações hormonais (principalmente dos níveis de estrógeno) e circulatórias; alimentação deficiente; fumo; sedentarismo; uso de pílulas anticoncepcionais e tratamentos de reposição hormonal. A alimentação também tem um papel muito importante na ocorrência desse problema: o consumo exagerado de doces e gorduras (em forma de frituras, salgadinhos industrializados, excesso de óleo vegetal nas preparações, maionese, etc.) favorece o acúmulo de gordura subcutânea e, com isso, o aparecimento da celulite.

Para tratá-la, podem ser feitas intervenções nutricionais para diminuir a gordura corporal e, com isso, melhorar a aparência da pele. Entre essas medidas, está consumir diariamente fibras alimentares, que encontramos nos produtos integrais (arroz, pães, biscoitos, cereais matinais), frutas (preferencialmente com casca) e verduras e legumes crus e beber no mínimo 3 litros de água por dia.

Dúvidas sempre surgem quando nos referimos ao aparecimento e tratamento da celulite. A seguir, você encontra algumas das mais freqüentes e também a resposta a essas questões.

- Refrigerante causa celulite? — Não é o refrigerante em si que causa esse problema, mas o fato de que ele contribui para o acúmulo de gordura no corpo por apresentar excesso de calorias.

- Consumir muito sal piora o quadro? — Isso pode acontecer, sim, por causa da retenção hídrica que o sal provoca.

- E usar calça muito justa? — Esse hábito pode ajudar a piorar o problema, pois prejudica a circulação nos locais onde a calça fica mais apertada, como bumbum e coxas.

- Homens podem ter celulite? — Sim; embora não seja tão comum, eles também podem ser acometidos por esse problema, dependendo da quantidade de gordura subcutânea que possuem.

- Tomar cerveja ou outro tipo de bebida alcoólica piora o quadro? — Sim, e muito. No organismo, o álcool se transforma em gordura e, assim, aumenta o peso corporal e a quantidade de gordura subcutânea.

- E o cigarro? — A nicotina e o alcatrão presentes no cigarro provocam um engrossamento das paredes das artérias e veias, o que dificulta a circulação sangüínea, piorando a celulite.

Para amenizar esse problema, pode-se fazer as seguintes modificações na alimentação e estilo de vida: 

- Tomar muita água: de 8 a 10 copos por dia;

- Consumir alimentos ricos em fibras, como arroz integral, cereal matinal do tipo granola, frutas e verduras cruas;

- Diminuir a quantidade de sal nas preparações e evitar comer em demasia alimentos pré-preparados, como sopas prontas, caldos concentrados e salgadinhos industrializados (por causa do excesso de sódio);

- Retirar a gordura aparente das carnes antes de consumi-las;

- Diminuir o uso de óleos e gorduras (margarina, manteiga, creme de leite, etc.) nas preparações;

- Fazer atividade física diária, como caminhadas ou exercícios em academia, por pelo menos 45 minutos.

Procurando adotar algumas atitudes mais saudáveis, tanto na alimentação como no estilo de vida, conseguimos melhorar a aparência da celulite e até mesmo evitar que ela apareça. Até a próxima!" (Fonte: Aprende Brasil - www.aprendebrasil.com.br).

 

.

.