.

.

 

BOCA - SAÚDE BUCAL   

HALITOSE (MAU HÁLITO)

O que é halitose?
Halitose significa "mau hálito", um problema que muitas pessoas enfrentam eventualmente. Calcula-se que aproximadamente 40% da população sofre ou sofrerá de halitose crônica em alguma época de sua vida. Muitas são as causas deste mal, incluindo:

  • Higiene bucal inadequada (falta de escovação adequada e falta do uso do fio dental);

  • Gengivite

  • Ingestão de certos alimentos como, por exemplo, alho ou cebola;

  • Tabaco e produtos alcoólicos;

  • Boca seca (causada por certos medicamentos, por distúrbios e por menor produção de saliva durante o sono);

  • Doenças sistêmicas tais como câncer, diabetes, problemas com o fígado e rins.

BOCA SECA

Como saber se tenho boca seca?
Todos temos a boca seca de vez em quando. Mas, quando esta sensação persiste, você pode estar com um problema na produção de saliva. Os sintomas de boca seca incluem:

  • Sensação de secura e pegajosidade em sua boca;

  • Dificuldade de deglutição;

  • Sensação de queimação em sua língua;

  • Sensação de secura em sua garganta;

  • Lábios rachados;

  • Paladar reduzido ou um gosto metálico em sua boca;

  • Feridas na boca;

  • Frequent bad breath

  • Mau hálito freqüente;

  • Dificuldade de mastigar/falar.

Como tratar a boca seca?
A única maneira definitiva de curar a boca seca é tratando sua causa. Se o seu problema é resultado de medicação, seu médico poderá mudar sua prescrição ou dosagem. Se suas glândulas salivares não funcionam normalmente, mas ainda produzem alguma saliva, seu médico poderá lhe dar um medicamento que ajude as glândulas a funcionarem melhor. Se a causa de sua boca estar seca não puder ser eliminada você poderá restaurar a umidade de sua boca de diversas maneiras. Seu dentista pode recomendar hidratantes bucais, como substitutos de saliva. Enxagües com soluções bucais especialmente formuladas para diminuir a secura também podem aliviar o problema. Você também pode:

  • Beber água ou bebidas sem açúcar com freqüência;

  • Evitar bebidas com cafeína, como café, chá ou alguns refrigerantes, que também podem causar a secura da boca;

  • Mascar gomas sem açúcar ou chupar balas duras sem açúcar para estimular o fluxo de saliva (se houver alguma glândula salivar funcionando);

  • Não utilizar tabaco ou álcool, que ressecam a boca;

  • Estar ciente de que alimentos condimentados ou salgados podem causar dor em uma boca seca;

  • Utilizar um hidratante bucal no quarto, durante a noite.

 


GENGIVITE

Gengivite - uma inflamação da gengiva - é o estágio inicial da doença da gengiva e a mais fácil de ser tratada. A causa direta da doença é a placa - uma película, grudento e sem cor de bactérias que se forma, de maneira constante, nos dentes e na gengiva.

Se a placa não for removida pela escovação e uso de fio dental diários, ela produz toxinas (venenos) que irritam a mucosa da gengiva causando a gengivite. Neste estágio inicial da doença da gengiva, os danos podem ser revertidos, uma vez que o osso e o tecido conjuntivo que segura os dentes no lugar ainda não foram atingidos. Entretanto, se a gengivite não for tratada, ela pode evoluir para uma periodontite e causar danos permanentes aos dentes e mandíbula/maxilar.

Como sei que tenho gengivite?
Os sintomas clássicos da gengivite incluem gengivas vermelhas, inchadas e sensíveis que podem sangrar durante a escovação. Outro sintoma de doença é o recuo ou retração da gengiva, conferindo aos dentes uma aparência alongada. A doença da gengiva pode formar bolsas entre os dentes e a gengiva, onde se acumulam restos de comida e placa. Algumas pessoas têm mau hálito freqüente ou sentem gosto ruim na boca, mesmo se a doença não estiver em estágio avançado.

Como posso prevenir a gengivite?
Uma boa higiene bucal é essencial. A limpeza profissional também é extremamente importante, pois uma vez que a placa se acumula e endurece (ou torna-se tártaro), apenas o dentista ou um higienista podem removê-la.

Você pode prevenir a gengivite pela:

  • A correta escovação e uso apropriado do fio dental para remover placas e restos, e do controle do aparecimento de tártaro.

  • Alimentação correta para garantir nutrição adequada para o osso da mandíbula/maxilar e dos dentes.

  • Evitar cigarros e outras formas de tabaco.

  • Ir ao dentista regularmente.

CÁRIE

Como eu sei se estou com uma cárie?
Apenas seu dentista pode dizer com certeza se você tem uma cárie. Isto porque as cáries se desenvolvem embaixo da superfície do dente, onde você não pode vê-las. Quando você ingere alimentos que contenham carboidratos (açúcar e amido), estes carboidratos são digeridos pelas bactérias da placa , produzindo ácidos que corroem o interior do dente. Com o tempo, o esmalte do dente começa a fraturar por debaixo da superfície, enquanto a parte externa permanece intacta. Quando uma quantidade suficiente de esmalte sob a superfície já tiver sido destruída, a superfície se desmorona, expondo a cavidade de cárie.

É maior a probabilidade das cáries de se desenvolverem em fóssulas e fissuras nas superfícies de mastigação dos dentes posteriores, nos espaços entre os dentes e próximo à linha da gengiva. Mas, independentemente de onde ocorrem, a melhor maneira de identificá-las e tratá-las, antes que se tornem sérias, é visitando seu dentista regularmente para avaliações.

Como posso ajudar a evitar as cáries?

  • Escove os dentes pelo menos três vezes ao dia, e use o fio dental diariamente, a fim de remover a placa bacteriana entre os dentes e sob a gengiva.

  • Faça avaliações regulares. O cuidado preventivo pode evitar que os problemas ocorram e que problemas menores se tornem sérios.

  • Adote uma dieta balanceada, com pouco açúcar e amido. Quando ingerir estes alimentos, procure comê-los durante a refeição, e não como um lanche, para minimizar o número de vezes que seus dentes são expostos ao ácido.

  • Utilize produtos dentários que contenham flúor , incluindo o creme dental.

  • Certifique-se de que a água que suas crianças bebem contenha flúor. Se a água fornecida em sua localidade não contém flúor, seu dentista ou pediatra pode prescrever suplementos de flúor diários.
    (Fonte: Terra Saúde).

O TABACO É INIMIGO DA BOCA - Se você é fumante, arme-se até os dentes para ler essa notícia e tratar de largar o vício do tabaco. No quesito saúde bucal, os efeitos do cigarro vão de mau hálito à precoce perda dos dentes. Segundo uma pesquisa feita durante 12 anos na Johns Hopkins University (EUA), quem fuma pode ficar desdentado antes da hora, especialmente se o viciado for do sexo feminino. Segundo o estudo, as mulheres fumantes têm 67% mais chances de perder seus dentes do que as não-fumantes. Cortar de vez o cigarro ou diminuir seu consumo pode retardar o processo.
Outro estudo feito pela mesma universidade, com 155 homens e mulheres, mostrou que os fumantes têm o dobro de chances de desenvolver doenças do periodonto (conjunto que sustenta os dentes) em relação aos não-fumantes. A saúde bucal dos fumantes é mais frágil porque o tabaco diminui a resposta imunológica a bactérias. O monóxido de carbono presente na fumaça que é ingerida pelo fumante reduz a concentração de oxigênio e inibe a movimentação de glóbulos brancos, reduzindo sua capacidade de destruir bactérias.
Outros elementos químicos presentes na fumaça do cigarro podem diminuir ainda mais a resistência dos tecidos do periodonto. Esses elementos são absorvidos pelas raízes dos dentes. Um em cada três fumantes que participaram dessa pesquisa tinham a superfície das gengivas escurecida, por pigmentação com melanina.
A falta de anticorpos também pode contribuir para que o fumante desenvolva halitose (mau hálito). Como se não bastasse, outros estudos também estão sendo feitos para demonstrar os danos causados pelo cigarro ao esmalte dos dentes, fazendo com que eles também, além das gengivas, fiquem escuros".  (Folha de São Paulo - Folhateen - 16/08/1999)

 desde 09/09/2005

Ver mais SAÚDE

 

.

.